quarta-feira, 25 de julho de 2007

PAN


Eu sou fanático por esporte, mas odeio que o use para iludir o povo. Claro que fico feliz pelo recorde de medalhas nos jogos Pan-americanos, mas isso não quer dizer muita coisa, não quer dizer que o Brasil está investindo mais em desporto do que antigamente. Até porque o Pan não é uma competição das mais fortes. Sem os principais atletas norte-americanos, e sem europeus e asiáticos, é como se fosse uma segunda divisão das olímpiadas. De todas esses atletas que ganharam medalhas para o Brasil, apenas uns 10% tem chances de repetir o feito nos jogos olímpicos de Pequim.
Seria muito bom se essa empolgação com o esporte brasileiro continuasse após o Pan, se o governo investisse sempre no esporte um décimo do que gastou nesse evento. Mas os jogos vão acabar e as coisas voltarão a ser como eram antes. O Brasil é o país do futebol. E só!
"Eu preciso ganhar algo digno para viver bem do esporte e ter como viajar para fora do Brasil e disputar torneios preparatórios. Eu faço um pedido para que alguma empresa privada me ajude”
NATÁLIA FALAVIGNA, do taekwondo, após perder a medalha de ouro para a competidora mexicana.
Postar um comentário